Arquivo do blogue

18/01/13

Votos de um próspero 2013

Aos amigos e companheiros desejo um próspero ano de 2013. E prometo voltar a carga em breve.

27/04/10

TÃO LONGE TÃO PERTO

Desculpem-me. Sei que este título é batido. É só para vos informar que estive tão longe, há já algum tempo, a cuxilar debaixo da sombra de um coqueiro, sem acesso às novas tecnologias, razão pela qual este espaço focou, como repararam, inactivo e desinteressante.
Agora cá estou novamente, mais pertinho de vocês e convido à todos a espreitarem, de vez em quando, esta janelinha...

13/05/09

Pela residência morre o imigrante

Esta BD da minha autoria foi publicada na edição de Fevereiro do boletim informativo da associação "Solidareidade Imigrante" com sede em Lisboa.

24/01/09

Moliterni deixa BD de luto

Foi com imensa tristeza que recebi a notícia do falecimento, 21 de Janeiro de 2009, aos 76 anos, do escritor francês Claude Moliterni, figura incontornável da BD franco-belga, a poucos dias do início do Festival de Angoulême de que foi um dos três fundadores em 1974.
Moliterni foi figura habitual nos últimos Festivais de BD da Amadora, sendo, no do ano passado co-comissário da exposição central da 19ª edição do FIBDA, sob o tema BD e Ficção Científica.
Romancista sob diversos pseudónimos antes de se dedicar à Banda Desenhada e depois argumentista de BD, dirigiu as redacções de diversas publicações: Pogo-Poco (1969-71), Les Pieds Nickelés Magazine (1971-72), le mensuel Lucky Luke (1974-75), Captain Fulgur (1980-81). Foi ainda director de redacção da Pilote e da Charlie Mensuel (1973-89).Assinou diversos livros sobre Banda Desenhada, como “L’Histoire Mondiale de la Bande Dessinée” (Horay, 1980), “Dictionnaire Mondial de la Bande Dessinée” (Larousse, 1994-1998), ou o “BD Guide 2005” (Omnibus). Concebeu numerosas exposições, como a famosa “Bande Dessinée et Figuration Narrative” no Museu de Artes Decorativas em Paris.
Moliterni foi impulcionador do “ICON” (International Comic Organization), o 1º Congresso Internacional de Banda Desenhada, que ocorreu em abril de 1972, em Nova York. Juntando na ocasião, nomes de referência como Hergé, Druilet, Emílio Freixas, Harvey Kurtzman, Neal Adams, Stan Lee, Jayme Cortez e Mauricio de Sousa, entre outros.
Biografia completa no site do autor: http://www.claudemoliterni.com/